Portal do Governo Brasileiro

Educação financeira: Projeto Itinerante chega à Salvador

Educação financeira: Projeto Itinerante chega à Salvador

150 150 ENEF

Tribuna da Bahia

Para acessar a matéria clique aqui.

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, indicou nesta sexta-feira que a educação financeira é “chave” para o BC atuar na questão do cheque especial no Brasil. O cheque especial é hoje uma das modalidades de crédito mais caras disponíveis aos clientes de bancos, com taxa média de 322,2% ao ano.

A cidade de Salvador receberá, no próximo dia 23 de agosto, o Projeto Itinerante da Associação de Educação Financeira do Brasil – AEF-Brasil, que cumpre a importante missão de levar educação financeira à população ao capacitar professores da rede pública sobre o tema. Em 2018, a ação formou mais de mil profissionais de educação em 38 cidades.

O projeto, iniciado no ano passado, acontece em um momento importante para o país, em que pesquisas de mercado mostram um crescimento no número de famílias brasileiras endividadas. Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo mostram, por exemplo, que esse percentual vem aumentando nos últimos meses e chegou a 59,6% em julho. “Em um contexto como esse, a educação financeira, mais do que nunca, aparece como a principal alternativa para a construção de uma nação financeiramente consciente, na medida em que promove mudança de comportamentos e, por consequência, transforma vidas”, comenta Claudia Forte, superintendente da AEF-Brasil.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), da Fecomércio-BA, apontou, em junho, um percentual de 47,7% das famílias da capital baiana com algum tipo de dívida, quarta alta mensal consecutiva. Em resumo, o resultado de junho mostrou a dificuldade das famílias em manter o nível de consumo diante do desemprego elevado e da economia fraca. Os gastos com o cartão de crédito são os responsáveis pela situação de 87,3% das famílias baianas. Os carnês seguem na segunda colocação bem abaixo com 7,1%, seguido de crédito pessoal com 5,1%. Em termos absolutos, seguindo a taxa de inadimplência, 155,8 mil famílias soteropolitanas não quitaram a dívida na data de vencimento.

A capacitação da AEF-Brasil segue as diretrizes da ENEF – Estratégia Nacional de Educação Financeira – ENEF, Decreto Lei DECRETO Nº 7.397, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2010 que institui uma política pública que tem por finalidade disseminar a educação financeira junto à população. A iniciativa oferece aos docentes de todo o Brasil, de forma gratuita, informação, formação e orientação, além de parcerias com órgãos e entidades públicas e instituições privadas.

“Nosso objetivo é formar os profissionais com grande base de informação para que possam inserir de forma transversal a educação financeira nas demais disciplinas da escola, como Português, História e Geografia. A ação beneficia não só os professores, mas também estudantes e toda a comunidade. Nossa expectativa para esse ano é chegar aos 2 mil professores capacitados nas 41 cidades que percorreremos”, comenta Claudia.

Planos para 2019

Esse ano, além das oficinas para capacitação de professores em 41 cidades, o Projeto Itinerante retornará em dez municípios para acompanhamento e medição de resultados. “Queremos saber os resultados de quantos alunos, pais e/ou comunidade serão impactados diretamente por atividades realizadas por professores que passaram pelas oficinas para, assim, mensurar de forma eficiente quantas pessoas foram impactadas por estes professores, após participarem das oficinas”, explica Claudia Forte.

A AEF-Brasil espera que o capital humano gerado pelas oficinas de educação financeira resulte em impacto direto aos alunos, bem como indiretamente aos familiares e comunidade, aumentando e fortalecendo a temática no País.

Serviço

Projeto Itinerante de Capacitação em Educação Financeira

Data: 23 de agosto (sexta-feira)

Horário: das 8h30 às 12h30

Local: IAT Instituto Anísio Teixeira

Endereço: Estr. da Muriçoca, S/N – São Marcos, Salvador – BA

Sobre a AEF-Brasil e a ENEF

A AEFBrasil – Associação de Educação Financeira do Brasil é uma OSCIP criada para executar a Estratégia Nacional de Educação Financeira – ENEF, uma política pública lançada em 2010 com a finalidade de disseminar a educação financeira junto à população. Seu principal foco de atuação é a promoção e fortalecimento da causa da educação financeira em todo o país.

A Instituição desenvolve tecnologias educacionais e sociais que visam despertar no cidadão brasileiro um comportamento financeiro saudável e consciente. Entre os projetos de destaque estão programas de educação financeira voltados a crianças e jovens dos Ensinos Fundamental e Médio e, além de projetos com foco em adultos que beneficiam, sobretudo, mulheres beneficiárias do Programa Bolsa Família e idosos com renda de até dois salários mínimos. O programa voltado ao Ensino Médio, por exemplo, já foi aplicado em escolas de cinco Estados e no Distrito Federal e, de acordo com avaliação do Banco Mundial, gerou um aumento da capacidade dos jovens de adotar práticas financeiras mais conscientes.

A AEF-Brasil é mantida por quatro importantes instituições do sistema financeiro nacional: ANBIMA – Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais; B3 – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros; CNSEG – Confederação Nacional de Seguros Privados e FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos.

Coordenação e Execução dos Programas
MEMBROS DO COMITÊ NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA (CONEF)




    FONTE
    ALTO CONTRASTE