Portal do Governo Brasileiro

Situações Didáticas

Todo o conteúdo abordado nos livros do Programa Educação Financeira nas Escolas foi estruturado em nove temas principais e 69 situações didáticas envolvidas. Podemos conceituar situações didáticas como um conjunto de ações e atividades que desenvolvem no aluno algumas competências para lidar com as múltiplas e variadas situações financeiras do cotidiano.

As situações didáticas tratam dos conteúdos sociais e formais. Os conteúdos formais referem-se aos conceitos sistematizados pelos teóricos das áreas econômica e financeira, como por exemplo: crise financeira, distribuição de renda, inflação, empreendedorismo, dentre outros. Já os conteúdos sociais trazem para estudo os contextos reais da vida cotidiana: orçamento escolar, supermercado, reparos da casa.

Cada Situação Didática (SD) apresentada nos livros reúne objetos de conteúdo (conhecimento, conceitos) e objetos didáticos (orientações pedagógicas voltadas para o desenvolvimento de competências). As principais características das situações didáticas propostas no material são:

• organização de uma atividade para resolver o problema proposto;

• orientação da atividade para a obtenção de um resultado previamente explicitado ou que pode ser identificado pelos próprios estudantes;

• tomada de decisões para resolução do problema conforme o objetivo perseguido;

• uso de diferentes estratégias para resolver o problema formulado;

• incentivo a relações sociais diversas: comunicações, debates ou negociações com outros estudantes e com o professor.

Em todos os livros, no início e no final de cada tema, há uma SD introdutória e uma SD conclusiva. Elas potencializam a aprendizagem, uma vez que estabelecem uma conexão mais direta dos temas e conceitos abordados com o aluno, convidando-o a desempenhar um papel ativo no seu próprio processo de aprendizagem.

A SD introdutória, chamada de  “O que você já sabe?”, visa promover uma tomada de consciência do aluno sobre suas práticas financeiras atuais e estimulá-lo a acionar seus conhecimentos prévios sobre os conteúdos que serão tratados ao longo dos três temas de cada um dos livros. Dessa forma, a mente do aluno se prontifica para a aprendizagem e prepara-se de modo a acolher com maior suporte os conceitos a serem tratados, ampliando e estreitando as relações destes com as experiências e os conhecimentos prévios próprios.

A SD conclusiva recebe o nome de “Sonho Planejado” e pede que o aluno organize os conhecimentos e as habilidades que adquiriu para que possa criar o planejamento financeiro da realização de um sonho. É o momento em que as aprendizagens se inter-relacionam e se concretizam em uma ferramenta útil para a vida do aluno.

As demais SD não precisam ser seguidas na ordem em que aparecem, cada escola ou professor pode selecionar o caminho a ser trilhado, de acordo com as necessidades e interesses de seus alunos. Uma possibilidade é guiar-se pelos objetivos específicos e pelas competências indicadas, avaliando quais você considera importante desenvolver junto aos seus alunos, no contexto social, cultural, financeiro e familiar em que se inserem.

Se você nota, por exemplo, que sua turma já tem familiaridade com preenchimento de cheque ou, ao contrário, está inserida em famílias e comunidades que fazem pouco uso dele, talvez não seja relevante trabalhar o objetivo de preencher cheque com esses alunos.

No Livro do Professor, cada SD é precedida de um quadro com descritores (metadados) que orientam a busca pela SD com a qual se deseja trabalhar. Além dos metadados, há diversas orientações ao professor sobre a relevância e a utilidade dos conceitos abordados, formato das atividades a serem propostas, além de textos adicionais para aprofundamento, que podem ou não ser compartilhados com os alunos.

Exemplo: Orçamento escolar

 

Coordenação e Execução dos Programas
MEMBROS DO COMITÊ NACIONAL DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA (CONEF)




    FONTE
    ALTO CONTRASTE