Portal do Governo Brasileiro

Coronavírus: cenário atual chama a atenção para a saúde financeira

Coronavírus: cenário atual chama a atenção para a saúde financeira

150 150 ENEF

Isolamento contribui para economizar. É preciso ter segurança quando a crise passar

Por Joana Gontijo
Jornal Estado de Minas

Clique aqui para acessar a matéria no site do jornal.

O momento é de cautela. Muito ainda há que se aprender sobre o coronavírus, que impacta diversos aspectos da vida. Ter saúde financeira é um dos temas pertinentes ao cenário atual. Como não há como prever com certeza como estará a situação do país após a pandemia, em um contexto de crise econômica que pode se agravar, a educação quanto às finanças torna-se tema fundamental.

Diante da recomendação sobre o recolhimento domiciliar, despesas com shows, baladas, bares, compras em lojas físicas do varejo, para citar apenas alguns exemplos, não fazem mais parte da rotina, pelo menos por enquanto, e isso pode dar fôlego às finanças pessoais ou favorecer o hábito de economizar.

Porém, ao mesmo tempo, há que se ter atenção quanto o aumento de gastos com outras demandas, principalmente devido à estada prolongada em casa, como as contas da rotina doméstica ou compras de insumos básicos.

A Associação de Educação Financeira do Brasil (AEF-Brasil) divulga orientações sobre como economizar e equilibrar os gastos para ter segurança quando a crise passar. Diretrizes importantes ainda mais diante de um quadro social, até então, imponderável. No fim das contas, este pode ser um período oportuno para poupar e se preparar para o futuro. A ideia da associação é esclarecer maneiras para equilibrar essa balança e tornar a quarentena uma chance para rever atitudes que prejudicam uma vida financeira saudável, além de adotar novas práticas que contribuam para torná-la mais promissora.

“Estamos vivendo uma crise sem precedentes no mundo com essa questão do novo coronavírus. Há muitas incertezas sobre o mercado, a economia, os empregos. Não dá para negar que quem não fez a lição de casa em relação às finanças pessoais pode sofrer mais os efeitos desse problema, já que ter uma reserva financeira num momento como este, por exemplo, poderia contribuir para atravessá-lo com um pouco mais de tranquilidade”, comenta Claudia Forte, superintendente da AEF-Brasil.

Ainda que em um quadro de crise, Claudia reforça que é possível promover pequenas mudanças, mas essenciais para a harmonia futura nas planilhas de custos. “Mesmo nessa situação de quarentena continuaremos tendo gastos, especialmente com os itens básicos do nosso cotidiano. Mas, como nesse contexto estamos mais voltados àquilo que nos é essencial, é um bom momento para uma reflexão sobre como economizar nas pequenas coisas e sobre os supérfluos de que podemos nos livrar, revertendo o valor dessas coisas para construir um futuro mais estável do ponto de vista financeiro”, orienta.

Frente a um período complexo para a economia do Brasil e do mundo, essa é uma boa hora para entender mais sobre finanças e lidar melhor com os desafios que porventura apareçam. Além disso, trabalhando em casa e com as crianças fora da escola, é bom aproveitar para ensiná-las sobre economia. Explicar a elas sobre os gastos obrigatórios de uma casa, como água, luz, gás, e seu impacto no orçamento da família.

Coordenação e Execução dos Programas
Em função do DECRETO Nº 9.759, DE 11 DE ABRIL DE 2019, a governança do CONEF está sendo revisitada.




    FONTE
    ALTO CONTRASTE